Uma MAV q não me impede de viver!!!

LUCIANA KELE DORINI

AVENIDA IGUACU
MANGUEIRINHA
85540-000
4632431354
ludorini@hotmail.com

Notícias

E se você descobrisse que só tem mais seis meses de vida???  O que faria???   Pediria...
Você acredita que é possível ser feliz seguindo apenas 3 passos? Eu também duvidava, mas hoje...

E quando de repente PAI...

12/08/2017 14:57
De repente a notícia, a surpresa: a mais esperada, ou a menos imaginada... a mais feliz, ou a mais...

Capítulo 17

E para ter mais vida em cada dia, que o mês de agosto começou com tudo... mas tudo mesmo...

Muitas palestras, muitos sonhos, muita alegria...

Muita alegria por estar viva, por estar saudável, por estar feliz...

A primeira palestra do mês foi na Faculdade Unilagos em Mangueirinha, no curso de menor aprendiz... que maravilha ver jovens pensando em trabalhar e estudar em busca de um futuro próspero...  foi uma manhã de sábado inesquecível...

Depois vieram as palestras em comemoração ao dia do estudante... nossa, e o dia do estudante é um só, mas os estudantes são muitos... aí tivemos um problema... e para dar conta dos convites foram quatro palestras em três dias...  

E como uma pessoa ansiosa como eu pode lidar com uma situação como essa???

Não vou dizer que foi fácil, mas foi tão gratificante que faria tudo outra vez... outras vezes... tantas quantas fossem necessárias pra extrair aquelas lágrimas e aqueles sorrisos.. para provar daqueles abraços... para ter todas aquelas lembranças em meu coração...

Em um dia eu estive no Covó... no outro na Canhada Funda... (comunidades do nosso município) e no outro estive pela manhã e à tarde no Colégio Misael, no centro da cidade... antes da última palestra eu cheguei a pensar que não conseguiria concluir minha missão daquela semana, achei que minha voz faltaria, achei que minha emoção me trairia... confesso que foi uma maratona, uma grande maratona, que eu saí vencedora...  e que ganhei a melhor medalha do  mundo, aquela medalha que se carrega dentro do peito...

Aquela medalha feita de olhares emocionados, de risos gostosos, de muita esperança e de muito aconchego... sei que os alunos para quem palestrei naqueles dias são muito jovens, mas tenho certeza que não são só jovenzinhos, que são jovenzinhos preocupados com o bem do outro, que são jovenzinhos que sofreram quando contei passagens tristes da minha vida, jovenzinhos que vibraram de felicidade quando  viram que mesmo com tantas dificuldades eu venci...aiiiiiiii, como eu queria voltar no tempo, e viver tudo de novo...

Ainda naquela semana, no sábado, eu tinha mais uma palestra, desta vez na Comunidade Abundância em Coronel Vivida para um grupo de jovens...  Naquele sábado eu também tinha o aniversário de uma prima e o chá de bebê de outra em Pato Branco, e eu gostaria muito de estar com elas nesses momentos especiais de suas vidas, mas não consegui ir, porque não poderia deixar de viver um dos momentos mais especiais da minha vida, que foi  a conversa com o Grupo de Jovens Amigos Pela Fé...

Nossa, eu nem sei como explicar o que eu senti quando eu desci do carro e ouvi uma música cantada pelos jovens: " Luciana que bom, que bom que você veio... Luciana, que bom.. que bom que você veio” também não saberia explicar os meus sentimentos quando o Padre Fábio e quatro seminaristas entraram na igreja...  nossa, eu pensei, o Padre também vai assistir??? Eu não os conhecia, e a minha responsabilidade triplicou em vê-los ali....

Eu já estava nervosa, porque sou assim... e naquele momento eu tremi... tremi de verdade... eu estava na casa de Deus, acolhida por jovens incríveis e ainda tinha aquele banco bem na frente preenchido pelo padre e seus alunos... 

Fiquei trêmula até o momento em que me entregaram o microfone e comecei a falar... depois disso, como num passe de mágica meu nervosismo foi embora e deu lugar à paz... e quanta paz eu senti em vislumbrar empatia, carinho e amor em cada olhar... já estou emocionada em lembrar...

Depois da minha fala ainda fomos para um coquetel no pavilhão... hummmmmmm.... quantas delícias a comunidade tinha feito só para aquele momento... me senti  mais que acolhida, me senti mimada... até trouxemos, minha mãe e eu,  uma quentinha pra casa... hahaha

Tenho certeza que naquelas três horas em que estive na comunidade fiz muitos amigos que levarei pra vida toda... e levarei também uma sensação muito diferente pra mim, uma sensação de tranquilidade total... quem sofre de ansiedade vai me entender, a gente tem um certo medo dos momentos felizes por achar que eles já vão acabar, então acabamos correndo antes que eles acabem, e lá na Abundância foi diferente, eu não quis sair correndo, eu não tive medo que aquele momento acabasse, pelo contrário, eu quis aproveitar todos os instantes...

Ai, e como foi bom provar dessa paz...

Passou-se mais uma semana de trabalho na câmara, de orientações na faculdade e quando chegou o próximo sábado, chegou também a oportunidade de mais uma palestra... desta vez em São João...  agora o público não era tão jovem, mas também muito especial... e o local, uma nova igreja...:)

Neste dia eu não estava muito bem, estava zonza, estranha mesmo... com medo de uma enxaqueca... o tempo estava chuvoso o que fez aumentar meu receio... Eu havia convidado minha amiga Valquíria para ir conosco, porque queria muito que ela assistisse uma das palestras e quando ela disse que ia, fiquei um pouco mais tranquila...

Eu estava super ansiosa, acho que os últimos dias tinham sido muito corridos e eu estava um tanto quanto debilitada... às vezes eu abuso um pouco do meu corpinho.... hahaha

Mas deu tudo certo... conversei por um pouco mais de uma hora e adorei compartilhar a minha vida com pessoas mais experientes... em seus olhares eu notava que eles já haviam sentido o que eu senti... e notei também que com minhas superações eles fizeram brotar mais esperança em seus corações...

Ao final, fizemos uma foto... e a câmera estava com flash.... aiiiiii, eu esqueci de dizer que o flash me faz mal...  Eu tenho fotofobia, uma aversão à luz, e a luz do flash me fez ficar vendo luzinhas por todos os lados... perdi alguns bons momento por isso... Perdi não... porém não os aproveitei como gostaria... uma senhora me disse: “ Você vai ver, vamos nos reencontrar e depois da sua fala, eu serei outra pessoa.”... um outra queridíssima, pediu pra eu assinar seu livro... dois senhores vieram me abraçar e conversar... uma outra senhora mais idosa veio me abraçar e me parabenizar...  entre tantos outros abraços carinhosos e palavras cheias de emoção... 

Enfim, mesmo não estando muito bem, o momento foi maravilhoso... consegui voltar dirigindo, não tive crise de ansiedade nem de enxaqueca, e ainda ganhei muitas lembranças incríveis para minha caixinha dos melhores momentos...

E ainda falam mal do mês de agosto, como assim???

O meu mês de agosto estava tão lindo, tão intenso, tão quente... e acreditem, ele esquentou ainda mais...

Lembram quando falei de colocar mais vida em cada momento??? Pois é, neste mês eu fiz isso, literalmente,  aumentei os meus dias, as minhas horas, os meus minutos, e os alimentei com muita vida e muito amor..

Depois de todos esses encontros inesquecíveis, eu ainda tinha mais... tinha mais um encontro... e não era uma palestra não, era algo, totalmente,  diferente...  eu fui convidada para ir a um Show da Anitta...  estranhou???????

Claro que estranhou, eu também estranhei, Anitta não está entre minhas preferências musicais, porém o convite foi irrecusável... como fizemos aquele vídeo com a paródia do Blá-blá-blá, a Rede Fama convidou os pacientes para participarem do Show com o original da música...

Seria tão simples se fosse em Mangueirinha.. ou em Pato Branco, mas não... o evento seria em Curitiba... eu aceitei na hora é claro... no entanto depois fiquei pensando... como vou??? Ou melhor, quem vai comigo???

Infelizmente, há muitos anos eu não viajava mais sozinha... pelas crises enxaquecosas, pelos sangramentos, pela ansiedade eu fui perdendo a coragem de sair sozinha... no entanto, para este evento eu não poderia levar ninguém... e também não poderia faltar... sim, a Anitta avisou que se eu não fosse ela também não iria, então não poderia desapontar os fãs... hahahahaha

Eu resolvi que iria, resolvi que superaria este medo...  seria tão simples, iria no ônibus do sábado e voltaria no ônibus de domingo, e ainda poderia ficar no hospital para não precisar ficar sozinha num hotel...  a Mel querida, responsável pelo marketing do hospital, conseguiu um pernoite grátis pra mim no Nossa Senhora das Graças...

Mas aí apareceu mais um porém, na terça feira eu teria um curso também em Curitiba e nesse eu não poderia faltar mesmo... então eu não teria como voltar no domingo... affffffff.... que difícil...

Então comecei um super planejamento... pensei em mil coisas... de segunda em diante eu ficaria no hotel com minha amiga Vivi, contadora que faria o curso também... mas e de sábado até segunda... ai, ai, ai...

Precisei criar coragem para não perder o evento... então reservei um hotel só pra mim e fui... pedi muita proteção a Deus para não sentir nada de mal, para ter calma e tranquilidade...

Quando cheguei em Curitiba e tomei um taxi eu nem acreditava... será que era eu mesma, será que eu tinha de fato conseguido enfrentar o meu medo de frente? Aiiiiiii, a viagem já tinha passado, mas e agora como seria???

Então cheguei no hotel, fui para o meu quarto, e conversei com a Mel... ela viria me buscar em poucas horas...  então pedi um lanche rápido, tomei um bom banho, comi, me vesti e me senti linda e poderosa... linda porque sou linda mesmo, poderosa porque estava sozinha num quarto de hotel só meu na Capital... eu sei que parece uma coisa tão tola, que todo mundo faz a todo instante, mas pra mim não foi nada tolo, para mim foi como se tivesse vencido uma guerra... uma guerra em que o inimigo morava dentro de mim...

Fomos para o hospital e lá a festa  começou...  Você já imaginou uma paciente entrando no seu  hospital de salto alto e roupa para o show da Anitta? Hum???

Claro que minha roupa respeitava os meus 37 aninhos, não pensem besteira... hahaha

Quando entrei no hospital e passei direto pela portaria, nossa... que sensação maravilhosa... não precisei assinar nada, nem explicar o que estava sentindo... ainda bem, porque nem saberia explicar... minha alegria era tanta que me faltariam palavras...

Chegando lá conheci outras pacientes e mães de pacientes também... Foi maravilhoso.. cada uma delas hoje faz parte da minha história... mulheres guerreiras,  mulheres felizes, mulheres vencedoras...

Tivemos uma noite de princesa... as meninas do marketing, que são umas amadas, providenciaram maquiagem pra nos sentirmos ainda mais lindas, providenciaram pizza (com prato, garfo e faca para a Luzinha) pra ficarmos fortinhas, e ainda, pra completar a noite, providenciaram uma Limusine Cor de Rosa para nos levar ao show... Uauuuuuuuuuuuuuu...

Enfim, fomos a sensação da noite...  o show foi só um complemento, sinceramente, pra mim não precisava do show... pra mim, só conhecer as meninas super poderosas, conviver um pouquinho mais com a Mel, Moni e Ana, andar de limusine cor de rosa, brindar em frente ao hospital com champagne, e ainda participar de matéria para o Jornal do SBT com a Fran e o Ivan, e do documentário do hospital já foi o show...

A Anitta me decepcionou, não pelas músicas ou pela dança, porque isso eu já conhecia, me decepcionou porque esperávamos um pouquinho de tato e carinho com as meninas do hospital e com o pessoal da imprensa, tato esse que ela não teve... 

As meninas me deixaram no hotel de madrugada e eu era a pessoa mais feliz do mundo...  estava exausta, com sono, e o mais importante, estava realizada...  Dormi sozinha no meu quarto de hotel, e no outro dia fui almoçar com a Eudete e a Ro, amigas da família, que me acolheram como se fosse da família...

Depois do almoço e da tarde agradabilíssima, voltei mais uma vez para o meu quarto de hotel, tomei um banho de banheira delicioso e fui jantar com três amigas...  e até tomei um chopinho pra comemorar esse reencontro... que delícia rever minhas colegas de colégio Cheila e Tati,  e receber aqueles abraços fortes e afetuosos...

A Cheila e sua filha Júlia me deixaram no hotel perto da meia noite e mais uma vez eu dormi como um anjo... na segunda logo cedo eu estava cansada, mas quis aproveitar minha manhã para conhecer alguns pontos turísticos da cidade que eu ainda não conhecia... então chamei um taxi e fui...  fui pensando, será que essa Lu, é a mesma Lu que eu conhecia??? Eu passeando sozinha em Curitiba? Sim, era eu mesma... um pouco mudada pela força, pela coragem e pela alegria de viver, mas era eu...

À tarde tive um pouco de dor de cabeça, mas passou...

Quando minha amiga chegou, fomos para um centro médico fazer um exame... calma, eu não tinha passado mal, era um exame, previamente, marcado...  uma ressonância com contraste pedida pelo Dr. Márcio...

A Vivi foi comigo e ficou lá fora esperando... eu entrei cheia de medo, afinal o exame não é dos mais simples, e pela primeira vez na vida, meus pais não estavam lá fora me esperando...

Cheguei lá dentro, coloquei aquele belíssimo modelito e fiquei aguardando o que viria pela frente...  Eu tenho medo de agulha, e sabia que precisavam pegar minha veia, então já estava super apreensiva... mas enfermeiro foi “certeiro”... pegou a veia tranquilamente e recebeu os meus parabéns... então fui levada para a sala da ressonância... ai que sala terrível... toda branca, com aquele forno imenso...para completar o nervosismo da hora, eu ainda tinha esquecido de tirar o sutiã... mais um constrangimento... :(

Entrei no forninho e a menina me disse que duraria em torno de uma hora... aí comecei escutar aqueles barulhos absurdos, que às vezes pareciam o Guns e outras vezes pareciam bumbos e tambores dentro da minha cabeça... eu não estava nada confortável lá dentro... não podia mexer um centímetro, nem falar, e nem fazer esforço para respirar... pensei em pedir pra sair, porém aí eu precisaria começar tudo de novo... ai, ai, ai... foi muito difícil... me senti horrível dentro daquele forno quente e com aqueles jatos de ar gelado... me senti  impotente, insegura e desamparada...

Demorou muito mais que devia e quando saí a minha amiga estava super nervosa à minha espera... foi muito bom ver que ela estava lá..

O exame foi difícil, no entanto  deu certo...  e agora eu voltava à vida normal... ainda estava em Curitiba, mas não estava mais sozinha...

Passamos o restante da semana na Capital... pegamos chuva, frio, estudamos muito, nos divertimos também e voltamos pra casa sãs e salvas...

Eu trouxe comigo chocolates para os meus pais, e uma super infecção de garganta para não esquecer tão fácil  dos meus dias na cidade grande.. hahaha

E trouxe comigo também, a certeza de que eu posso mais... a certeza de que tudo é possível quando enfrentamos os nossos medos e vivemos para ser feliz...