Uma MAV q não me impede de viver!!!

LUCIANA KELE DORINI

AVENIDA IGUACU
MANGUEIRINHA
85540-000
4632431354
ludorini@hotmail.com

Notícias

E se você descobrisse que só tem mais seis meses de vida???  O que faria???   Pediria...
Você acredita que é possível ser feliz seguindo apenas 3 passos? Eu também duvidava, mas hoje...

E quando de repente PAI...

12/08/2017 14:57
De repente a notícia, a surpresa: a mais esperada, ou a menos imaginada... a mais feliz, ou a mais...

Capítulo 9

E me entregando à felicidade descobri que a vida tem muito mais pra nos dar, basta estarmos abertos para receber.. 
 
A minha carreira de atleta foi, bruscamente, interrompida... Sabe quando os jogadores estão em sua melhor fase física e de repente sofrem uma lesão??? Pois é... claro que eu não estava na minha melhor fase física... mas quase sofri a lesão... hahaha
 
Quase pra mim já é muita coisa... quase sofrer uma lesão acendou a minha luz de alerta... aquela luz vermelha que fica piscando, piscando, piscando até que você faça alguma coisa para resolver o problema... Uma amiga e eu nos batemos quando fomos em busca da mesma bola... não nos machucamos, mas isso me fez pensar que eu estava correndo um risco desnecessário... 
 
Naquela batida eu poderia ter saído muito machucada, eu poderia ter ferido a região do hemangioma, a minha região mais sensível e que demanda mais cuidado... eu poderia ter trocado algumas horas de prazer, por dias de despespero.. ou algo ainda pior.. e foi por isso q eu decidi parar... parar com uma dor enorme no coração... parar com um sentimento de impotência avassalador... mas parar com a certeza de estar fazendo a coisa certa... PAREI !!! 
 
Parei pra me sentir segura, mas o que mais senti foi saudade... :(
 
Enfim, nem sempre a vida é como gostaríamos que fosse... mas é sempre melhor do que tudo que podemos imaginar... 
 
Parado o volei, continuei com minhas caminhadas e corridinhas que me ajudavam a manter o corpo e mente sãos... e olha que estava precisando manter tudo em dia, porque a correria da nossa rotina cheia de turbulências depende de condições físicas e psiquicas, totalmente, equilibradas... 
 
E a minha correria estava fora do normal... hahahaha
 
Oito horas diárias na câmara... duas noites de aulas na faculdade... e mais alguns grupos de orientação de estágio... Coisas que eu amo fazer, mas que requerem tempo e disposição... 
 
Lembro que  em dias de jogos, enquanto estava na posição de técnica, mesmo de dentro do ginásio em sábados e domingos, estava atendendo meus alunos por mensagens e e-mails... afinal, eu nunca tive dias ou horários especiais para atendê-los, o que eu realmente queria era ter a certeza que eles iriam alcançar seus objetivos, e que eu iria ajudar de todas as formas possíveis e legais, é claro... hahaha
 
Eram sete grupos de estágio... ou seja eram sete estágios para orientar... sete artigos para revisar... e revisando propor mudanças... e propondo mudanças corrigi-las... e corrigindo-as, esperando ainda um algo a mais... hahaha
 
Normal... normal sempre desejar um algo a mais... normal sempre querer extrair o máximo dos seus pupilos... normal e cansativo... cansativo mas gratificante... :) 
 
Eu passava todas as noites envolvida com os artigos... lendo um, revisando o outro, corrigindo um terceiro... mas isso não me fazia nenhum mal, isso me fazia bem, muito bem... Porque é bom demais sentir nos seus alunos mais dedicados a vontade de ir sempre além...  e é maravilhoso também, ver seus alunos mais dispersos, de hora para outra,  focados, interessados e determinados... 
 
Fico emocionada só em lembrar... lembrar daqueles que desde o primeiro dia criaram um grupo no whatts chamado "estágio"... e dentre o grupo estavam somente as três estagiárias e eu... E era um tal de "profe daqui e profe dali" maravilhoso... que só alegrava os meus dias ... :)
 
Lembrar daqueles que encararam esse desafio sozinhos, sem saber direito o que fazer, mas sabendo muito bem onde queriam chegar... e foram tantas trocas de e-mail... tantas conversas no facebook... foram tantos sonhos compartilhados... Individualmente, eles precisavam tomar todas as decisões, fazer todas as escolhas além de realizar todo o trabalho duro... e cumpriram com tudo direitinho...  :)
 
Recordar é viver... nossa, que frase significatvia nesse momento... É incrível lembrar também daquelas meninas fascinantes  que caíram de pára-quedas no meu rol de orientação... que chegaram no segundo semestre  e marcaram a minha vida com o seu senso de equipe, seu senso crítico e o com seu amor pela profissão... 
 
Gente, e como é bom lembrar também, daqueles que como bons brasileiros, deixaram para a última hora, e me mandavam e-mail de hora em hora, para conseguirmos em tempo record finalizar... Afffffffff.... Ufaaaaaaa.... Ai meu Deus... Sofrido, mas concluído... hahahahaha
 
Foram mais que horas, mais que dias... foram meses trabalhando em conjunto... foram meses nervosa mas tentando acalmar o coração dos meus alunos tão amados... como aprendi com meu pai, se o esteio da família desabar, quem pode dar sustento??? Assim somos em sala de aula, se o professor se desesperar, como ficarão seus acadêmicos??? 
 
Portanto, mesmo que em momentos, meio "desesperadinha" por dentro, sempre consegui acalmá-los... 
Mas também nem sempre é possível manter a calma... principalmente quando o dia da tão temida BANCA está prestes a chegar... hahaha
 
Saber que será julgado.. saber que será avaliado... imaginar que aqueles professores à sua frente estarão procurando detalhes pra lhe "ferrar"... nossa, isso é complicado demais... e eu sei disso muito bem... 
 
Fiz banca nesse semestre para vários acadêmicos que eram estagiários da professora Fabíola, alguns nem tinham sido meus alunos, e fiquei impressionada... feliz... emocionada... Como é bom sentir a evolução daqueles que você já conhece, e como é bom conhecer a capacidade daqueles que você teve pouco contato ou nenhum... como é bom sentir em todos uma grande vontade de superar limites... 
 
Nesse dia de banca, para vocês pode parecer pouco, mas para mim foi uma super, hiper, mega superação... Eu fui sozinha para Pato Branco - 80km da minha cidade, coisa simples, mas  que fazia anos e anos que não acontecia... os meus medos não estavam me deixando pegar estrada sozinha, e nesse dia fiz questão de ultrapassar essa barreira, com a ajuda da minha psicóloga querida é claro, mesmo porque os "apresentadores" valiam todo e qualquer esforço... 
 
Assisti estudos maravilhosos, assisti uma apresentação acadêmica melhor do que qualquer apresentação profissional... vi mãos trêmulas e ouvi vozes embargadas... mas o mais importante é que senti força e coragem em cada um...  
 
Veja só, quantos presentes num só dia... Viajar sozinha... ter a possibilidade de presenciar tanta garra e determinação... poder transmitir um pouquinho do que penso sobre a vida... sem contar com as fotos que que jamais sairão do meu álbum mais querido... E ainda ganhei mais presente... Não precisava, mas adorei ter sido lembrada com tanto carinho...
 
Eis que todas as bancas estavam acontecendo, e chegou o dia dos meus orientandos... Ai, ai, ai, ai, ai... e agora eu confesso, estava mais nervosa que eles... hahahaha
 
Sorte que tinha ao meu lado, acreditem, uma ex aluna das minhas primeira turmas, agora colega e muito amiga, a Professora Vanessa... 
 
Imagino que seja algo parecido com o nervosismo dos pais quando seus filhos é que estão sob avaliação... é um misto de felicidade pelo dever cumprido com uma preocupação sobrenatural, afinal cada um deles carregava um pouco de mim... e eu mesmo tremendo, me sentia responsável e era mesmo, por encorajá-los e mostrar o quão capazes eles eram de vencer aquela batalha... :)
 
E já estou chorando só de lembrar de cada banca... de cada rosto apreensivo... de cada olhar tenso... de cada palavra tão bem proferida... 
 
Tivemos uma banca que as apresentadoras pareciam o Willian Bonner e a Fátima Bernardes no seu melhor tempo do Jornal Nacional, uma perfeição... outras já não tão calculadas, mas demonstrando segurança total no estudo que fizeram e nos resultados que atingiram... 
 
Mas o  mais legal de tudo isso é saber que mesmo com uma "dorzinha de barriga" inesperada... na hora em que dizia podem começar, lá estavam as minhas estrelas brilhando, brilhando, brilhando... 
 
Lembram-se daqueles que optaram por fazer o estágio sozinhos, nossa, foram surpreendentes... eles estavam sozinhos mas não desamparados, eles estavam sozinhos mas muito bem acompanhados pelo seu conhecimento...   
 
E aqueles que me despertavam um pouco de medo porque finalizaram aos 46,5 do segundo tempo, me despertaram orgulho... orgulho por ter dito "vamos, vai dar tempo, vocês são capazes, vocês vão conseguir" e por eles terem acreditado e conseguido... por terem ido além do que eu mesma imaginava... 
 
Como é lindo você ver o sorriso de satisfação no rosto de cada um dos seus antigos alunos, ex orientandos e eternos amigos e saber que contribuiu um pouquinho para isso... 
 
Eles me tiraram risos e me tiraram lágrimas... e o mais importante me fizeram parte integrante de um grupo de vencedores e me deixaram participar de uma fase tão especial em suas vidas.. ... todos foram aprovados no estágio, mas muito mais que isso, todos mostraram que estavam prontos para vencer qualquer obstáculo que a vida os apresentasse... 
 
Foram muitos aplausos, muitas e muitas e muitas fotos para recordar sempre, muito carinho e ainda ganhei mais presente.. hahahaha... mais presentes, porque cada um deles já foi um grandioso presente em minha vida...