Uma MAV q não me impede de viver!!!

LUCIANA KELE DORINI

AVENIDA IGUACU
MANGUEIRINHA
85540-000
4632431354
ludorini@hotmail.com

Notícias

E se você descobrisse que só tem mais seis meses de vida???  O que faria???   Pediria...
Você acredita que é possível ser feliz seguindo apenas 3 passos? Eu também duvidava, mas hoje...

E quando de repente PAI...

12/08/2017 14:57
De repente a notícia, a surpresa: a mais esperada, ou a menos imaginada... a mais feliz, ou a mais...

Capítulo 13

Mesmo com um certo receio de viver, a vida me presenteava com momentos espetaculares... Aqueles alunos que me visitaram naquele momento tão difícil, e que trouxeram consigo tanta força e tanta energia positiva, agora reuniam-se para um almoço de domingo na casa da "prof Lu"... na casa da "Madrinha Lu", pois é... mais uma turma de afilhados... lembro como se fosse ontem, euzinha fazendo um bolo de chocolate para recebê-los... e modéstia à parte o bolo ficou show!!! hahaha
 
Mais uma formatura, mais uma turma levando o meu nome, mais produção, mais emoção, mais lágrimas contidas... quanto orgulho, quanta honra... um coração que transbordava de alegria, mas que não conseguia expulsar o medo de ser feliz... difícil, mas a minha vida estava assim.. mesmo nos melhores momentos eu não conseguia esquecer os momentos de dor, eu não conseguia esquecer a possibilidade de voltar a chorar... :(
 
Em meio a tantos acontecimentos, mais um momento complicado... Quando se trabalha em órgãos públicos e não se é servidor efetivo, você acaba andando numa corda bamba e nessa época eu estava assim... Como sou uma pessoa que precisa de estabilidade, não estava mais conseguindo viver sem segurança no meu trabalho... então eu resolvi fazer um concurso numa cidade vizinha para ser contadora da prefeitura... Gente eu nunca tinha estado naquela cidade, eu nem sabia direito onde ficava Saudade do Iguaçu, mas descobri... Fiz o concurso e briguei pela minha vaga... eu não gosto de injustiças e na soma da minha pontuação estavam sendo injustos comigo, então fui à luta e assumi o concurso no dia 1º de novembro... dia 2 já tínhamos um feriado... comecei bem... hahaha
 
Foi tudo  muito novo... as pessoas, o lugar, o trabalho e o mais aterrorizante, morar sozinha... :(
Eu nunca tinha morado sozinha na vida... mas era uma barreira que eu precisava transpôr... eu precisava mostrar pra mim mesma que eu podia fazer isso, que eu era capaz... E de certa forma isso me fazia sentir forte...  Aluguei uma casa no primeiro dia de trabalho, e durante o feriadão compramos os móveis necessários e na próxima segunda lá estava eu de "mala e cuia" e sem telefone fixo, celular ou internet.. hahahaha
 
Imaginem só, um lugar estranho, casa nova, sem comunicação com o mundo e a TV não queria ligar... Isso que eu chamo de um belo comitê de recepção... hahahahaha
 
Trabalho novo, novas responsabilidades, os meus pensamentos durante o expediente eram só resolver questões ligadas à contabilidade e decorar os apelidos das pessoas, em Saudade do Iguaçu todo mundo tem apelido, e eu sofri muito pra conseguir ligar os nomes X apelidos às pessoas... Foi difícil essa fase de transição, mas encontrei pessoas maravilhosas no caminho... uma cidade tão pequena mas cheia de calor humano... 
 
Nesse tempo eu estava com um problema na gengiva relacionado com a extração dos dentes... estava com uma grande dificuldade na mastigação, minha alimentação, resumia-se, praticamente, a líquidos e pastosos... Os dentes de cima pressionavam muito forte na gengiva inferior e isso formou uma afta que infeccionou... eu chorava de dor, mas não sabia ao certo do que se tratava pois não queria faltar ao trabalho para ir ao médico... e quando fui ele ficou doido, a situação era bem séria, afinal eu estava com uma infecção naquela gengiva que já havia sofrido com tantas hemorragias... Minha mãe não conseguiu me deixar sozinha nessa situação, então começou a ficar comigo na minha nova cidade cuidando da minha saúde, cuidando da minha alimentação e acabou fazendo mais amizades que eu... hahaha
 
Porém mesmo com todos os cuidados a situação não se resolvia, apesar de ter controlado a infecção, eu precisava também voltar a me alimentar de maneira correta, foi então que meu querido dentista, vislumbrou uma saída... Ele me disse que precisaríamos extrair alguns dentinhos superiores para não mais machucarem minha gengiva que era tão frágil... Claro que eu não gostei dessa opção, mas conversei com o Dr. Lauro e ele concordou que seria a única forma de resolver o problema... Mais uma vez eu me sentia impotente e desesperada com mais uma cirurgia a fazer... Eu concordei em encarar mais essa, mas com a condição que o procedimento fosse realizado em Curitiba com o Dr. Lauro presente, claro... mas também que fosse realizado pelo Ubiratan, meu amigo/dentista/terapeuta.. hahaha
E olha só, meu médico e meu dentista concordaram com essa minha ideia maluca.. o Ubiratan e seu colega Marcos fizeram 800 km para poder proceder a extração dos meus dentinhos lá em Curitiba... eu sabia que esse procedimento poderia ser realizado por outros profissionais, mas eu só confiava neles...  Nossa, eu nem tenho como agradecer por isso... O procedimento foi impecável, e em quinze dias eu estava de volta ao trabalho... Em poucos meses a minha alimentação melhorou consideravelmente, e não machuquei mais a gengiva... :)
 
Nesse tempo eu ainda era professora em Palmas, em meio a tantas dificuldades eu não queria largar minhas aulas e meus alunos tão queridos... eu fazia  mais de 150km para ir até a faculdade, mas eu não queria desistir, porque existem coisas na vida que não têm preço.. Imagina,  eu já conhecia abaixo assinado para retirar professores, mas uma turma de alunos fez um para eu ser a sua professora... Isso é um presente impossível de se taxar...  e eu fui professora deles, mesmo em regime de "cursinho" por detalhes da instituição, mas eu fui... e eles tornaram-se mais uma turma de afilhados, mais uma turma que carrega o meu nome e que eu carrego no lado esquerdo do peito, dentro do coração...  Affff...  mais uma formatura, mais um momento emocionante para ficar pra sempre em minha memória... mais um milhão de motivos para transbordar de felicidade.. :) 
 
Por questões, única e exclusivamente de saúde, e com um aperto no coração, eu precisei largar as aulas nas duas faculdades que eu trabalhava... Mesmo em Mangueirinha, onde eu só tinha duas aulas por semana, mas um círculo de amizades tão gostoso, pois eu precisava relaxar, eu precisava cuidar de mim, eu precisava aprender que a vida não é só trabalho, eu precisava entender que eu merecia descanso, que eu merecia momentos de laser, momentos de prazer... 
 
Como agora eu tinha estabilidade no meu emprego, eu quis fixar residência na minha nova cidade, eu quis desacelerar... não que eu estivesse, totalmente, confortável lá, mas eu queria criar raízes, eu gostava das pessoas, eu gostava do trabalho... Então resolvi construir a minha casa... com muita ajuda dos meus pais é óbvio.. hahaha
 
Construí a casa dos meus sonhos, a única tristeza era trocar de vizinhos, pois adoro os meus ex vizinhos... mas como tudo tem seu sentido, eu tinha que mudar meu endereço para conhecer outras tantas pessoas tão especiais em minha vida... como dizia uma amiga... "não procure pela melhor casa, procure pelos melhores vizinhos"... e eu sempre tive os melhores onde quer que eu estivesse... Acreditem, minha vizinha não se incomodava nem com o piano a todo vapor logo cedo, ainda dizia que adorava me ouvir tocar... haha :)
 
A vida deveria estar maravilhosa, mas eu não conseguia me sentir segura em lugar nenhum... o medo de novos sangramentos me rondava... na sexta-feira eu queria voltar correndo pra casa dos meus pais, pois quando estava com eles eu me sentia protegida... Por esse medo constante eu resolvi buscar alguma forma para resolver, definitivamente, o problema do "hemangioma"... foi então que fui consultar com um outro médico, um cirurgião vascular da mesma equipe que me tratava, e ele me falou que deveríamos fazer alguma coisa, que apesar dos riscos de se mexer numa malformação como a minha seria melhor do que estar assumindo o risco do dia-a-dia...  As palavras dele só fizeram o meu medo crescer e eu acabei aceitando fazer o que fosse preciso para viver sem àquela sensação angustiante, mesmo que a situação estética ficasse muito prejudicada, mesmo correndo todo o risco de uma cirurgia tão agressiva... 
 
Foi então que minha mãe e eu fomos pra Curitiba e lá passamos um mês na casa de uma amiga-irmã que sempre esteve ao meu lado pra tudo... foram dias terríveis porque a ansiedade, o medo e a tristeza tomaram conta de mim... e aí as crises de aura de enxaqueca se tornaram frequentes... até então eu só sabia que aquelas sensações eram ocasionadas por crises nervosas, e isso me deixava cada dia pior... enfraquecida, deprimida, desmotivada... :(
 
Fiz vários exames, e ao final precisei fazer uma nova arteriografia para se conhecer a extensão exata da malformação e preparação para a embolização que precederia a sugerida cirurgia... Foi a pior internação e o pior atendimento que já tive, foram as 36 horas mais ridículas da minha vida... esse procedimento foi realizado em um outro hospital, um hospital que nós não conhecíamos...  minha mãe estava sozinha comigo... e pra melhorar a situação, quando já estava com aquela roupinha cirúrgica maravilhosa, tive que atender um telefonema de trabalho, o nervosismo triplicou nessa hora... Além disso o médico era desconhecido e depois do procedimento realizado me esqueceram no quarto... Minha mãe e eu largadas num quarto de hospital, sem a menor assistência, sem o menor respeito... tive que brigar para receber alta quase 10 horas depois do combinado e por uma médica que eu nunca tinha ouvido falar... Pra completar, ao sair do hospital estava dentro de uma nova e terrível crise de enxaqueca com aura... Tadinha da minha mãe, tadinha da minha amiga, tadinha de mim... esses dias foram muito difíceis... eu cheguei a ter três crises no mesmo dia, meu emocional estava abaladíssimo... Meu pai e meu irmão não puderam estar conosco, eu estava sem forças, mas minha mãe e minha amiga foram guerreiras demais e não deixaram o barco afundar.. hahaha
 
Enfim que todos os exames levaram às respostas que precisávamos, e quando cheguei para a consulta conclusiva o médico me disse que poderíamos fazer a cirurgia e que o Dr. Lauro era o profissional indicado para isso... maravilha, o Dr. Lauro era o único cirurgião a quem eu confiaria a minha vida mesmo... mas quando fomos conversar com ele, que até então não havia me dado seu parecer sobre o assunto, me disse: "Se você quer seguir com isso, não serei eu a realizar essa cirurgia, você é minha amiga e eu não quero isso pra você"... aí me explicou direitinho todos os riscos, todo o sofrimento, tudo, tudo, tudo... e me indicou uma terapeuta... além disso, meu médico-amigo, me incentivou a retomar minha vida normal... e como ele sempre diz: "otimismo, minha amiga... otimismo"... O melhor conselho de todos os tempos... era só isso que eu precisava, retomar a minha vida, e lembrar da espada, que todos temos apontadas para a cabeça, com a diferença que a minha eu consigo ver...  ;)
 
No mesmo dia voltamos pra casa, mas ainda não tinha coragem de voltar pra minha nova cidade, foi quando recebi uma ligação do prefeito, meu chefe, dizendo: "Lu, volta, nós estamos aqui pra te ajudar"... não foi nada fácil, mas eu voltei... e essas palavras me ajudaram muito a reagir pois saber que onde quer que esteja, eu estaria amparada, fez toda a diferença... 
 
Entre uma crise e outra, e convivendo com uma ansiedade tremenda os dias foram passando... mas eu não sabia mais o que fazer para me livrar daqueles sentimentos que me aterrorizavam...todo o apoio da família e dos amigos não estava sendo suficiente para me tirar do "buraco", foi então que consegui uma ajuda muito especial de uma amiga muito querida, que apesar de não ser psicóloga ou terapeuta,  têm uma luz incrível e a capacidade de falar a coisa certa na hora certa, suas orações e suas orientações me ajudaram muito... Me ajudaram inclusive a encontrar o médico certo para aquele meu momento, resultado não larguei dele até hoje... Eu tinha sido encaminhada para um psiquiatra, e quando saí de lá, com uma longa receita na mão,  vi uma placa no consultório da frente... Dr. Allan Archetti, que já havia sido meu médico, que era irmão do meu dentista preferido e que virou meu homeopata querido... Saí de um consultório e entrei no outro, marquei uma consulta com ele, e quando cheguei ouvi: "Eu sabia que um dia ia poder te ajudar"... e vai ajudar sempre...  Ele não deixou nenhum "faixa preta" entrar na minha vida, pois em seu diagnóstico conseguiu perceber quais eram os meus reais problemas e os tratou... 
 
Um pouquinho por dia, um passinho de cada vez, e a minha coragem, a minha autoestima, o meu prazer em viver foram retomando seu espaço... 
 
Só que eu ainda não estava feliz... e se eu não estava feliz, é porque ainda não chegou o final da história.. hahaha
:)