Uma MAV q não me impede de viver!!!

LUCIANA KELE DORINI

AVENIDA IGUACU
MANGUEIRINHA
85540-000
4632431354
ludorini@hotmail.com

Notícias

E se você descobrisse que só tem mais seis meses de vida???  O que faria???   Pediria...
Você acredita que é possível ser feliz seguindo apenas 3 passos? Eu também duvidava, mas hoje...

E quando de repente PAI...

12/08/2017 14:57
De repente a notícia, a surpresa: a mais esperada, ou a menos imaginada... a mais feliz, ou a mais...

Capítulo 19

Voando para realizar um sonho... voando para superar um milhão de medos... voando para dar adeus à dor da angústia... voando para dar boas vindas a uma nova Lu.... :)

Do Rio à Paris foram 14 horas de voo... nada de primeira classe, nada de vida mansa... 

Aeromoças que só falavam em francês ou inglês... ah, e preciso registrar aqui o meu repúdio quanto a isso, como pode um voo que parte do Brasil não ter nenhum tripulante que fale a nossa língua??? Fiquei indignada, mas tudo bem, de um jeito ou outro consegueríamos nos comunicar... 

Minha amiga, companheira de viagem jantou, tomou seu vinhozinho e dormiu a viagem toda... hahahaha

Já eu, ansiosa ao extremo, não dormi nada... passei a viagem toda pensando no que me esperava ao chegar na Europa e em tudo que eu havia deixado ao partir de Mangueirinha... 

A viagem foi tranquila, poucas turbulências, nenhum contratempo, alguns filmes, alguns clips e assim chegamos em solo francês... 

Como é bom sentir que sua coragem foi maior, bem maior que seus medos... Como é bom ver um sonho se realizando...Como é bom ter aquele carimbinho lindo no seu passaporte... hahaha

E melhor que tudo isso foi ver o brasileiro responsável pelo nosso transfer nos esperando lá no fundo do corredor... hahahahaha 

Foi a melhor visão de Paris... que alívio quando o vi com um tablet com os nossos nomes piscando... hahahaha

Ufffaaaaaaaaa... Estávamos a salvo... 

Fomos direto para nosso hotel... eu nem sabia para onde olhar... tudo tão diferente, tudo tão lindo, tudo tão limpo...

Descansamos por alguns minutos e nossa guia já estava nos esperando para iniciarmos os trabalhos... Tínhamos pouco tempo então queríamos aproveitar cada instante... 

Eu fiquei deslumbrada com tudo, minha amiga também... mas a maior emoção em Paris, depois de ver nosso transfer no aeroporto é claro, foi quando dobramos uma esquina e lá estava ela... a Torre Eiffel... ainda longe, mas era ela... Eu queria muito estar na Torre, mas nunca imaginei que ia me emocionar daquela forma ao avistá-la... foi um sentimento fora do comum... foi um sentimento que arrebatou meu coração... tipo "amor à primeira vista"... hahahaha

Eu não tinha noção da grandiosidade... a Torre Eiffel é majestosa, é imponente, é incrível... 

Claro que não nos contentamos em ficar lá embaixo... subimos, subimos, subimos até chegar ao último andar possível... Que vista maravilhosa, nesse momento eu entendi porque todo mundo sonha em visitar Paris...

Depois da visita à Torre fomos dar um tranquilo passeio pelo Rio Senna... só nos mais remotos sonhos eu me imaginava navegando pelo Senna e acenando para as pessoas que ficam à margem tomando sol, fazendo piquenique ou, somente apreciando a paisagem... Nossa, não era sonho, eu estava lá, eu estava em Paris... Uhullllll.... 

Depois de tantas horas sem dormir qualquer um teria a certeza que eu dormiria a noite toda... mas eu sabia que não... quanto mais cansada, fico mais elétrica, quanto mais elétrica, menos durmo... E não pude nem dizer que a culpa era da cama ou do hotel, porque minha amiga dormiu, dormiu, mas dormiu muito bem... hahahaha

Passamos mais dois dias em Paris... 

Subindo cada um dos 284 degraus chegamos ao topo do Arco do Triunfo, eu praticamente, sem fôlego, precisando de água, precisando respirar... Lembro nitidamente, que uma mulher que faz parte da guarda, e que segurava uma garrafa de água na mão, me viu passando mal, então perguntei onde comprar uma, e ela me respondeu "desça"... ha ha ha

Simpatissíssima... quando que nós brasileiros que temos um coração cheio de amor pra dar, deixaríamos alguém naquela condição tendo em suas mãos o remédio??? 

Enfim que a visão lá de cima pagou qualquer esforço... Fiquei tão encantada avistando a Torre tão pequenina bem ao longe, e toda a exuberância da Champs Elysées do outro lado,  que o mal estar passou, rapidamente, e sem uma gota de água... hahaha

Claro que para descer conseguimos pegar carona no elevador dos cardíacos... e sem enganar ninguém, só pedindo com jeitinho... haha

Continuamos visitando a Cidade Luz... 

Museu do Louvre, sem ver a Monalisa porque a fila estava absurdamente grande... Jardim de Tuileries sem fazer piquenique... Igreja de Madeleine sem missa... Não podíamos parar e aproveitar mais porque nosso tempo era muito curto, porém mesmo não aproveitando tudo o que desejávamos, cada imagem jamais sairá de nossas mentes... 

Tudo em Paris era maravilhoso e mais maravilhoso que tudo foi eu poder esquecer que tinha um hemangioma no rosto... Acreditam que em todo o tempo, somente um menininho de uns 3 anos me olhou diferente??? Verdade, e ainda foi imediatamente repreendido por sua mãe, que deve ter explicado direitinho o que a "tia" tinha...  

Bem, eu estava muito feliz, tudo me deixava enlouquecida, até andar de metrô estava sendo formidável... por enquanto tudo estava dando muito certo... a Cris cuidando de mim, e eu cuidando dela...  ao menos não deixei minha amiga passar fome nem um dia sequer, digo, não muita fome... hahahaha

Nossa estada foi tranquila, numa noite comemos só ameixas que compramos em uma venda perto do hotel, de um casal coreano, até hoje não sei como conseguimos nos comunicar, mas o importante é que conversamos muito e ainda compramos as ameixas... haha

Na saída do hotel, para adiantar o expediente eu fui fechar nossa conta, mas a mocinha fazia questão de não entender o que eu falava... Tudo bem eu sabia que meu inglês era horrível, mas naquela ocasião eu estava falando tudo certinho, só que eles não têm o mínimo traquejo... Ao final, apesar do stress inicial, deu tudo certo... quando nosso transfer chegou saímos levando as malas e eu voltei para me despedir... minha amiga ficou possessa por eu querer ser simpática com quem havia me tratado tão mal... :(

Na verdade eu não podia perder a oportunidade de dizer "au revoir" pra alguém, mesmo que fosse pra aquela moça mal humorada... hahahaha

Nosso transfer amado nos deixou na estação de trem e nos explicou tudo direitinho como cuidar os avisos de qual o portão de embarque... como compostar as passagens... mas pra quem não fala a língua até ir ao banheiro é difícil... 

Esperamos um tempinho, entre dezenas de pombos e dezenas de pessoas...  Logo nosso embarque surgiu no visor.... maravilha agora estava tudo certo, era só ir até o portão, passar o cartão de embarque no leitor e entrar no trem... puro e simples... ha ha ha

Quando chegamos ao portão avistamos uma escadaria imensa e a máquina para compostagem... Tentamos, tentamos e não conseguíamos fazer a leitura, até que uma senhorinha a qual eu havia cedido o lugar no tempo de espera, voltou para nos ajudar... Até em Paris existem boas almas... haha

Passagens compostadas agora era só subir as escadas... e subir escada é uma tarefa muito fácil quando não se tem uma bolsa pesando 3kg... uma mochila com mais 4kg.... e uma mala com mais de 20kg... Essa foi a hora crucial da viagem, foi o momento que senti  falta de um cavalheiro...  hahahaha

Brincadeirinha, nem tive tempo de lembrar de cavalheiros... minha amiga estava preocupada que, por  todo o meu histórico de problemas de saúde, eu não conseguisse superar esse obstáculo... O que??? Falou em obstáculo... falou em desafio... falou comigo... hahaha

Subi tudo aquilo sem parar, não porque me sobrava preparo físico, mas porque sabia que se parasse não conseguiria recomeçar... e não poderíamos perder aquele trem de jeito nenhum... haha

Chegando lá avistei o trem, ai que lindo aquele letreiro que dizia "GENEVE"... era tudo que eu queria ver naquele momento...

Entramos correndo, cada uma puxando sua mala, e descobrimos que aquele não era o nosso vagão... :(

Tivemos que sair do trem, e mais uma vez iniciar a corrida contra o tempo, dessa vez arrastando as malas... bem, quando conseguimos entrar no lugar certo do trem, e alocar nossa bagagem, sem ajuda de ninguém, e por isso não quero mais andar de trem, a tarefa era fácil, agora era só encontrar nossos assentos...  

E foi muito fácil, andamos um pouquinho e lá estavam nossos banquinhos nos esperando, mas num deles tinha uma freira já sentada... Nós somos brasileiras, simpáticas e fomos lá conversar com a senhora porque, provavelmente, ela tinha errado de poltrona... conversamos um pouquinho, eu tentando ensaiar um inglês... a Cris falando um português corretíssimo e nada dela entender... até que nos mostrou sua passagem e disse "VAGON"... hahahahahaha

Ai, ai, ai... nós estávamos no banco certo do vagon errado... hahahahahaha

Cansadas de correr... suadas... mas agora nas poltronas corretas... foi quando apareceu um rapaz oriental nos pedindo informação... Já pensou, coitadinho pedindo informação pra nós e ainda carregando sua mala sem rodinhas... e nós ajudamos, como pudemos claro, mas ajudamos...  hahaha

Concluindo nossa passagem por Paris, quando conseguimos sentar o trem partiu... e eu nunca ri tanto na minha vida... hahaha

E depois dizem que a primeira vez é fácil... pode ser divertida, até inesquecível... mas fácil não é não... hahaha

Agora era só esperar o trem parar e desembarcar em Genebra para correr abraçar a minha amiga Gi que já estaria na estação nos esperando... 

Sofremos um pouco ainda para entender o que se anunciava em cada parada que o trem fazia... que medo de deixar nossa estação passar... hahaha

Conseguimos chegar em Genebra, ai que sensação deliciosa, saber que tão perto estava uma amiga que mora no meu coração... 

Desembarcamos doidas para avistar a Gi, mas nada, nada, nada... A Cris ficou com as malas e eu comecei andar para tentar encontrá-la, mal sabia eu que ela não poderia estar na área de desembarque, que ela precisava nos esperar do outro lado... 

Não sabíamos direito o que fazer mas resolvemos sair da estação, e depois tentar ligar, tomar um taxi, sei lá... A gente não sabia o que estava acontecendo... mas quando parei pedir informações aos policiais no corredor final,  minha amiga gritou " Luuuuuu"... e então deixaram ela correr ao nosso encontro... Que abraço gostoso, cheio de carinho, de saudade, de alegria, de amor... 

Na Suíça me senti em casa, completamente segura... 

Fomos recebidas com todo o calor humano, tipicamente, brasileiro e ainda com as cuquinhas deliciosas e as esfihas(sem cebola) da Sissi... Sissi, a mãe da minha amiga, tinha preparado tudo do jeito que eu gosto... hummmmmm... tudo de dar água na boca...

E se passei fome, foi só na França.. hahaha

Logo na chegada já fomos passear, fomos fazer piquenique num lugar cheio de charme de onde pudemos ver toda a cidade, o Mont Saleve... 

Sabe àquela sensação gostosa que você só sente quando está em família, família de sangue ou de coração??? Pois bem, essa foi a sensação de estar do outro lado do mundo, sentada no chão em meio a um gramado imenso, comendo, falando português e rindo muito com pessoas tão especiais... 

Minha amiga, esposo, mãe e filho, todos deixaram seu dia a dia de lado para nos receber... e cada segundo ao lado deles foi mágico... 

Eles tinham feito um roteiro para que naquele pouco tempo pudéssemos conhecer o melhor da região... se bem que tudo naquela região era exuberante... 

Pra começar bem, no primeiro dia fomos para Chamonix, visitar o Mont Blanc... Em pleno verão europeu, quando avistamos neve ficamos encantadas... a neve nos picos só faz aumentar o charme daquela cidadezinha tão linda... Chegamos vestindo shorts e blusinhas, mas para subir no monte precisamos de vestimentos diferenciados... calça, calçados quentes e uma mega jaqueta térmica... Eu não estava entendendo, achava que era impossível uma mudança tão brusca de temperatura...

Não é à toa que Chamonix é uma das estações de invernos mais visitadas do mundo... é tudo maravilhoso... enfrentamos uma fila enorme mas quando entramos no "bondinho" que nos levaria à primeira parte do pico, toda a espera já havia valido à pena... A Cris teve um pouco de medo, eu adoro altura então pra mim foi tranquilo... mais que isso, aquele friozinho na barriga me motiva, me transforma... 

Nós poderíamos ficar um tempo na primeira estação e depois continuar a subida, mas o esposo da minha amiga nos tinha orientado a não perder um segundo pois o tempo logo fecharia e então não consegueríamos avistar o que há de mais lindo na Aiguille du Midi... sorte que somos meninas obedientes... continuamos a subida no segundo "bondinho"... uma subida mais íngrime e cheia de friozinho na barriga... minhas companheira de viagem estavam apreensivas, preocupada comigo, mais uma vez a questão saúde, ou problemas de saúde, estava em foco... É que chegamos a quase 4.000 metros de altitude... a respiração, normalmente, fica mais forçada, as pessoas sentem-se um pouco mais fracas... mas eu não, eu me senti ótima e ainda dei uma ajudinha às companheiras que tiveram essas sensações... hahaha

Em cada passo dessa viagem eu me convencia mais que estar feliz é o melhor remédio para todos os males... 

Nossa, eu não consigo encontrar palavras pra descrever a grandiosidade daquele momento, a vista lá de cima é indescritível... algumas pessoas andando no gelo... outras esquiando na neve... outras paradas perplexas por tanta beleza como nós... 

Percorremos todos os lugares possíveis a simples mortais... andamos nas cavernas de gelo... percorremos os arredores do monte... subimos cada degrau para chegar ao cume... Um vento terrível, frio, frio, frio e todo aquele presente da natureza que fazia brilhar os nossos olhos em qualquer direção que olhássemos... 

Quando avistei a Torre Eiffel eu imaginava que já tinha visto o que há de mais imponente no mundo... nada, quando cheguei no cume do monte, vi que os maiores "monumentos" são aqueles arquitetados por Deus... 

A descida também foi maravilhosa... eu me diverti horrores... o frio na barriga na descida é muito maior... claro que tinha gente com medo... mas eu amei tudo... hahaha

Essa viagem estava fazendo acordar a Lu aventureira que estava adormecida em mim... :)