Uma MAV q não me impede de viver!!!

LUCIANA KELE DORINI

AVENIDA IGUACU
MANGUEIRINHA
85540-000
4632431354
ludorini@hotmail.com

Notícias

E se você descobrisse que só tem mais seis meses de vida???  O que faria???   Pediria...
Você acredita que é possível ser feliz seguindo apenas 3 passos? Eu também duvidava, mas hoje...

E quando de repente PAI...

12/08/2017 14:57
De repente a notícia, a surpresa: a mais esperada, ou a menos imaginada... a mais feliz, ou a mais...

Capítulo 20

Além do Mont Blanc e da sua exuberância, ainda passamos um dia contornando o Le Lac Leman, um lago imenso e maravilhoso que contorna várias cidades suíças e francesas, uma mais linda que a outra...

Para todos os lados onde olhávamos existia uma nova surpresa... uma praça super bem cuidada... um jardim com desenhos em flores... uma arquitetura  antiquíssima e perfeita... ruelas cheias de charme... pessoas super bem educadas... e uma organização impensável...

Ainda em nossa estada em Geneve, passamos um dia todinho andando pela cidade e conhecendo tudo que o nosso pouco tempo nos permitiu...Logo partimos para o Jet d' eau, um jato de água de 140 metros situado no lago Genebra, que me fez ficar boquiaberta pela beleza e grandiosidade... as aves brincando no lago e a água tão límpida também me chamaram muita atenção... vimos muita coisa linda, e conhecemos uma cultura muito diferente daquela que estávamos habituadas no Brasil... lá as pessoas cuidam do que é público como se fosse só seu, com muito respeito e zelo...

Naquele mesmo dia visitamos muitas lojas, porque mulher adora umas comprinhas, e eu fiquei orgulhosa pois consegui fazer algumas compras sozinha, consegui me comunicar com os atendentes só falando meu inglês tão pobrinho.... hahaha

Paramos numa loja de artigos esportivos para "calibrar" os pneus do carrinho do Dani, e olha o rapaz que nos fez esse favor era um fofo, um suíço lindo, de um físico escultural e simpático demais... enquanto ele cuidava dos pneus do carrinho do bebê, a Cris e eu cuidávamos dele, com todo respeito é claro... hahaha

E já que ninguém nos entendia mesmo, acabamos falando algumas coisinhas a mais sobre o rapaz, tipo:  como ele seria uma boa companhia, como ele seria bem vindo no restante da nossa viagem e outras coisinhas do gênero, mas que o horário não permite repetir... hahahaha

Ele muito educado, nos olhava e sorria...

SURPRESA, quando minha amiga foi pagar a conta descobriu que o rapaz falava português melhor que nós.... ha, ha, ha... ele entendeu tudo que a gente falou... 

Quanta vergonha, mas como estávamos em férias e só queríamos aproveitar cada momento, tudo virou motivo para risos e muita diversão... mesmo porquê só tínhamos falado verdades... hahaha

Depois de muito aconchego, comidinhas maravilhosas, carinho, carinho e mais carinho, excelentes vinhos e noites quase em claro para não se perder nenhum instante, na última madrugada em Genebra, em meio a uma conversa sem fim,  descobrimos que o marido da minha amiga era o melhor amigo de um primo meu, estávamos mais em família que nunca... :)

Tudo que é bom dura pouco, e nós precisamos partir... não foi fácil deixar pra trás a segurança e todo o amor que tínhamos ali, mas nossa viagem devia continuar... seguimos então para Londres, mais uma vez de trem, mas agora sabendo como fazer e em que poltrona sentar... hahaha

De Genebra viajamos até Paris... algumas horas de viagem tranquila, degustando de alguns petiscos que tínhamos trazido da Suíça...

Quando chegamos em Paris, precisávamos tomar outro trem para Londres, mas para isso precisávamos trocar também de estação... Conversamos com o nosso transfer, aquele querido que havia nos buscado no aeroporto quando chegamos na França e ele ficou de nos buscar em uma estação e nos levar para outra...Tudo super simples, a nós só cabia esperar...

Só que nada é tão simples assim, esperamos, esperamos e nada dele aparecer, então quando a Cris ligou para saber o que havia acontecido descobrimos que ele tinha se enganado quanto aos nossos horários... ele achou que nós chegaríamos na hora em que deveríamos estar saindo... aí começou o desespero, ele estava muito longe da estação, e nós nesse momento só podíamos contar com a sorte...

Estávamos com muita fome e eu não consigo raciocinar quando estou com fome... na verdade não consigo fazer nada direito com fome, a não ser reclamar... fico extremamente, chata e irritada...por isso prefiro comer de duas em duas horas... hahaha

Então o único recurso era comprar algo pra comer... coisa muito simples... ou não...  a Cris ficou cuidando das malas e eu segui em busca de algo para comer... Lógico que busquei o mais fácil, algo do tipo self service... e encontrei, encontrei uma espécie de mercadinho onde os sanduíches, sobremesas, refrigerantes estavam todos expostos... ufaaaaa... não precisava falar com ninguém... era só me servir... uhullll...

Triste ilusão... assim que entrei o atendente veio falar comigo, num francês que eu amei ouvir, apesar de não entender nada... Então eu disse, com um largo sorriso no rosto, é claro: Sorry, but I don’t speak french...   (Desculpe, mas eu não falo francês)... que inocência a minha, claro que ele me respondeu: No problem, I speak english (Sem problemas, eu falo inglês)... ai, ai, ai e agora... cheia de vergonha e com vontade de chorar respondi... I don’t speak english, I just speak portuguese, I am brasilian... (Eu não falo inglês, eu só falo português, sou brasileira)...

Rimos muito, muito...

Enfim que ele continuou usando o inglês, mas começou a falar mais devagar então conseguimos nos entender... Gente, nunca sofri tanto pra ganhar alguma coisa... ele queria me explicar que na compra de um sanduíche e de um refrigerante eu ganharia a sobremesa... ufffaaaaaaaaaaaaa... Eu entendi e comprei tudo que tinha direito...  hahahahaha

Quando a Cris me avistou ficou aliviada, disse que achava que eu tinha me perdido e de quebra deixado ela perdida por lá também... hahahaha

No momento em que nosso transfer chegou, tínhamos apenas alguns minutos para conseguir ir até a outra estação e chegar até o trem... foi uma  corrida maluca... maluca mesmo...

Ele deixou o carro no meio da rua com os alertas piscando, e nós saímos correndo com as malas, entramos no carro e eis que se iniciou uma maratona... o trânsito em Paris é tranquilo, para quem está tranquilo... naquele dia estava terrível... quando chegamos na estação, mais uma vez o carro ficou parado em qualquer lugar e lá fomos nós, três doidos correndo, correndo, correndo... e eu ainda com fome, pois não tinha conseguido comer meu sanduíche... :(

Literalmente, éramos marinheiros de primeira viagem, não sabíamos como funcionavam as coisas...não sabia de toda a burocracia para ir da França para Inglaterra...

O nosso transfer nos levou até onde podia e depois nos disse algumas palavras, como: “boa sorte, agora é com vocês”...

Eu estava tremendo de fome, tremendo por ter corrido demais e não tenho resistência pra isso, e tremendo ainda mais por medo de perder o trem... mais uma vez esses trenzinhos atrapalhando a nossa viagem...

Para poder partir para Londres, precisamos preencher um documento informando vários dados nossos e da permanência naquele país... e ainda passar pelo aval de dois guardas ingleses... o primeiro foi tranquilo... já a conversa com o segundo foi tensa, muito tensa... eu acho que o meu estado nervoso fez com que ele desconfiasse de mim... Fez muitas perguntas e eu não conseguia entender.. mostrei toda a documentação, reservas dos hotéis, passagem de volta, carta da guia, mas nada era o suficiente... Algumas perguntas a Cris conseguiu entender e me falava então eu respondia...

Depois de liberadas pelo simpático guarda, precisávamos colocar nossas malas numa esteira para fazer aquele raio X... mas agora não tínhamos mais uma mala cada uma, já tínhamos duas malas cada, sabe como é mulher, as malas sempre ficam pequenas ao longo da viagem... hahaha

A gente não conseguia erguer as malas para colocar na tal esteira, elas estavam muito pesadas e nós muito cansadas... e dois cavalheiros, incrivelmente, gentis ao invés de ajudar ficaram rindo da nossa dificuldade... ai, ai, ai eu tive vontade de falar umas besteiras, mas se eles entendessem iriam me prender, e a última coisa que eu queria era ser presa em Paris por desacato a autoridades inglesas... afffff...

Depois de muito esforço guinchamos as malas e passamos para a área de embarque... ai que alívio, agora era só ir até o trem, mas cadê o trem, aonde ficavam os trens... hahahaha

Mais uma corrida contra o tempo, agora puxando duas malas cada uma, carregando mais uma mochila as bolsas e os lanchinhos... sorte que dessa vez as atendentes foram simpáticas e nos orientaram direitinho...

E só para variar quando sentamos o trem partiu... hahahahahaha

Tudo isso só porque eu sonhava em atravessar o Canal da Mancha, pelo eurotunel... e atravessei, nossa que emoção... não vi e nem senti nada diferente... hahaha

Chegamos em Londres e novamente o medo de não encontrar nossa guia nos esperando... mas para garantir todos os endereços e contatos no celular, nas bolsas, no bolso... prefiro prevenir...

Não tivemos muito tempo para desespero, assim que chegamos a Thá nos encontrou... então pegamos um taxi, aqueles taxis pretos, lindos, que são a cara da Inglaterra e fomos até o hotel... só deixamos as malas e partimos para conhecer alguns pontos em Londres... As cabines telefônicas maravilhosas.. os ônibus de dois andares... tudo vermelho, tudo lindo... a cada passo um novo suspiro... hahahaha

Parecia mentira que estávamos agora na terra da rainha... parecia mentira que depois de tanta correria tínhamos chegado bem...

Fiquei um pouco assustada com o tamanho do quarto e do banheiro... tudo muito pequeno, mas suficiente para o que nós precisávamos que era tomar banho e dormir...

No primeiro café da manhã nos perdemos no hotel, que horror aquilo parecia um labirinto... e o café não era tudo aquilo que eu esperava, mas o café era só um detalhe no meio de um dia maravilhoso que tínhamos pela frente... a Estação de metrô ficava bem próxima ao hotel, e de lá nós partimos para o Green Park... nossa, que parque maravilhoso, mais uma vez eu estava encantada com a beleza e com a limpeza de todos os lugares... Paramos fazer algumas fotos... sabe a nossa guia, é uma fotógrafa incrível, e registrou todos os nossos melhores momentos...

Ficamos algumas horas sentadinhas aguardando a troca de guarda no Palácio de Buckingham... uma daquelas experiências que acho válida para todos... Chega a ser engraçado ver toda aquela multidão assistindo um espetáculo tão pouco atraente... soldados altamente treinados, cavalaria, banda... mas nada fenomenal, a não ser o fato de atrair tantas pessoas das mais diversas etnias...

A troca de guarda foi um plus, o que eu queria mesmo era ver o Big Ben, nossa e quando o avistamos a sensação foi muito parecida com àquela de Paris, ao ver a Torre Eiffel... o Big Ben e o Parlamento são fascinantes... uma arquitetura maravilhosa que os torna majestosos... e o Tâmisa só completa a paisagem como um presente da natureza...

Big Ben, Parlamento Britânico, Rio Tâmisa... tudo tão, tão lindo, e mais lindos ainda vistos de cima, vistos da London Eye... é claro que não deixaríamos de andar na maior roda gigante do mundo... Simplesmente fantástico... a altura já me fascina, agora imagina toda àquela altura com àquela vista perfeita...

Ficamos exaustas, mas o dia foi perfeito...

Nossa guia não é uma britânica, é uma brasileira que mora em Londres, e o que eu pedi pra ela foi que nos levasse para passear como se fôssemos suas amigas na primeira visita à Inglaterra.... e ela fez isso... Nada de passar pelos pontos turísticos, nós andamos pelas ruas, por todas as ruas possíveis e fomos parar no CandenTown... uallll... o que é aquele bairro... Tivemos um misto de surpresas... a Cris titulou o bairro de Paraguay em Londres...

Lá não existe nada normal... lá o normal é ser diferente... as pessoas são exóticas... as lojas são estranhas... e as comidas ao ar livre, nossa... comidas típicas de todos os cantos do mundo, como se fosse uma feirinha... Claro que preferimos comer num bar de brasileiros... comer mandioquinha na Inglaterra foi tudo de bom... hahaha

Mais um dia super incrível e super cansativo, mas precisávamos brindá-lo com uma noite melhor ainda, e foi assim... Liguei pra uma amiga que mora lá e ela foi nos buscar para jantarmos juntas... mais uma vez nos sentíamos em família... um abraço tão terno e tão caloroso que nos fez sentir em casa de novo...

Fomos então jantar numa cantina... comida italiana era tudo que eu precisava... adoro uma boa massa...  Jantamos entre muitos risos e lembranças e depois fomos conhecer a noite londrina... Grandiosidade total... luminosidade total.... para nós, satisfação total...

A Cris, nossa amiga em Londres, além de linda é a simpatia em pessoa... ela fez nossa estada na Inglaterra mais viva, mais quente, mais alegre... ela nos ensinou tantas coisas, aquela noite foi inesquecível e ainda nos indicou um passeio para o outro dia... e por sua dica fomos parar em Windsor, viajando de trem, mas agora um trenzinho normal e simpático... era dia dos pais, lembro que liguei para o meu pai de dentro do trem para saber se ele havia recebido meu presente e também para dizer que não há distância que me faça esquecer das pessoas que eu tanto amo...

Mais um dia único... Dessa vez visitando o Castelo de Verão da família real britânica... esplêndido desde o jardim até os salões de festa... fotos, fotos e mais fotos para registrar tudo...

E voltando à Londres fomos conhecer o centro e fazer mais algumas comprinhas... coisa básica... quantas lojas enormes, quanta gente nas ruas... de quebra ainda conhecemos um pub muito legal e provamos um chopinho gelado... as pernas já não aguentavam mais, mas todo o esforço valeu a pena... conhecemos muito em pouquíssimo tempo...

Hora de voltar pra casa, nossas férias estavam chegando ao fim...

Eu estava ansiosa pela volta pra casa... com medo do recepcionista não ter solicitado nosso taxi para o horário certo... com receio do que fazer sem ajuda no aeroporto... e ainda acabou nossa conexão de internet...

A excentricidade do recepcionista me assustava, ele tinha um olhar estranho e usava algumas peças de roupa muito incomuns... ainda não sei o que ele queria ou o que ele era, mas tinha medo dele... ...então fomos as duas para a recepção renovar nossa senha da net, uma para cuidar da outra e ele nem quis cobrar o serviço... aumentou o meu medo... hahaha

Mais uma noite meio que sem dormir, só esperando o celular tocar para pegarmos nosso taxi e seguir para o aeroporto... Como diz minha amiga Sil, eu tenho que falar com todo mundo, principalmente com os taxistas, mas com esse falei menos, porque ele não falava português... hahahah

Madrugada e nós sozinhas no aeroporto...

Foi lá que ratifiquei a tese de que um bom sorriso e muita simpatia são as melhores formas de comunicação... Fiz um amigo lá que nos ajudou a fazer o check in e ainda nos levou para o glichê que seria aberto por primeiro... fomos as primeiras da fila...nada como se ter influências... hahaha

Conseguimos ajuda para encontrar nosso portão de embarque, e ainda descobri, pelo atendente da companhia aérea, que há muitos anos existiu uma música chamada Luciana...Ah, o querido saiu do seu glichê para nos mostrar o caminho a seguir...hahaha

Passamos pelos detectores de metais mas a minha mochila não passou pela vistoria... ai, ai, ai... quando pediram de quem era aquela mochila, lá fui eu, pediram que eu tirasse tudo da mochila... lá vai: remedinhos, creminhos, escova de cabelo, escova de dentes, creme dental, camisola, sutian, calcinha tudo espalhado no balcão... hahahaha

Mas eles não estavam preocupados com minha lingerie, queriam mesmo averiguar o que eu tinha em cada potinho de creme ou das minhas homeopatias... pela primeira vez ter um problema “aparente” me ajudou... Mesmo com a dificuldade da língua, consegui explicar que aqueles cremes eram necessários para o tratamento da minha malformação... e assim seguimos para o embarque...

Voo tranquilo até Amsterdã, e quando chegamos lá fiquei extasiada pelo tamanho do aeroporto... minha agente de viagem, a mais linda do sul do mundo, havia me dito que era uma conexão tranquila, num aeroporto pequeno... nossa que surpresa quando desembarcamos... Pedindo uma informação aqui, outra ali, conseguimos chegar ao voo... Amsterdã/Rio.... ai como é bom ouvir falar Rio de Janeiro... melhor que isso foi só desembarcar no Rio de Janeiro.... nunca achei que poderia me sentir tão em casa há tantos quilômetros de distância...

Do Rio para Curitiba, uma noite de sono e rumo à Mangueirinha... maravilha...

E quando cheguei em casa só confirmei que não há lugar no mundo melhor que a nossa casa...

Como sempre digo, viajar é ótimo, mas chegar em casa é melhor ainda...